ian-riseley

De diversas maneiras, a Fundação Rotária é uma presença invisível em nossos clubes. A maior parte do que fazemos semanalmente em nossos clubes e distritos, fazemos sem o envolvimento ativo da Fundação. Mas nossa Fundação é invisível em nossos clubes assim como o alicerce de um prédio é invisível quando se está nele: o fato de não o vermos não significa que ele não exista.

A Fundação que permitiu ao Rotary enfrentar a pólio é, de muitas maneiras, a mesma que sustenta os serviços do Rotary. Há 100 anos, desde que começou a existir com a primeira doação de $26,50 dólares, a Fundação apoia e fortalece nossos serviços, instiga nossas ambições e nos permite ser a organização que somos. Por causa da Fundação, os rotarianos sabem que se a gente tem um sonho e se põe a trabalhar, muito pouco está fora de nosso alcance.

Trata-se de um modelo incrivelmente eficaz esse que temos aqui no Rotary, algo que nenhuma outra organização consegue igualar. Somos totalmente locais e totalmente globais: temos habilidades, contatos locais e conhecimento em mais de 35.000 clubes, praticamente em todo país do mundo. Mantemos uma reputação merecida baseada em transparência, eficácia e boas práticas de negócios. E justamente porque somos profissionais e voluntários altamente capacitados, chegamos a um nível de eficiência que poucas organizações conseguem chegar.

Para simplificar, o dinheiro doado à Fundação Rotária rende muito mais do que o mesmo valor doado à maioria das instituições de caridade. Se quiser gastar fazendo algo de bom no mundo, nada melhor do que gastá-lo com a Fundação. Não se trata apena da minha fala, com tom de orgulho. Isso é algo visível e reflete-se em rankings feitos por organizações independentes.

No centenário da Fundação, os rotarianos ultrapassaram a meta de 300 milhões de dólares. Em algum lugar do mundo, pessoas que talvez você jamais conheça levarão uma vida melhor, por sua causa.

Por fim, é a nossa Fundação que nos leva a fazer o bem com nossas convicções mais íntimas: podemos fazer a diferença, temos o dever de fazê-lo e o trabalho conjunto – da forma mais eficiente possível – é a única forma de gerar mudanças reais e duradouras.

Ian H.S. Riseley
PRESIDENTE 2017-18


OUTUBRO/2017

Alguns anos atrás o museu de Melbourne, Austrália, onde minha filha trabalhava, exibiu um pulmão de aço, um tipo de ventilador que permite que a pessoa respire em caso de paralisia dos músculos da respiração ou quando o esforço necessário para a respiração excede a capacidade da pessoa. Para aqueles da minha idade, que se lembram das terríveis epidemias de pólio que tivemos na década de 1950, esse pulmão de aço é um testemunho do quanto avançamos na guerra contra a poliomielite: um equipamento médico, que foi uma vez tão importante, agora se tornou peça de museu.

Para grande parte do mundo, a história da pólio é simples: após anos de pavor, uma vacina foi desenvolvida e uma doença vencida. Mas, para outras partes do mundo, a história foi diferente. Em muitos países, a vacina não estava disponível, a vacinação em massa era muito cara ou simplesmente não era possível chegar até as crianças. Enquanto uma parte do mundo relegava a pólio aos seus museus, em vários países, a doença continuava se alastrando. Até o Rotary dar um passo à frente e dizer que todas as crianças, onde quer que vivessem e em quais circunstâncias, mereciam viver livres da ameaça da paralisia infantil.

Desde que o programa Pólio Plus foi lançado, os esforços combinados do Rotary, de governos mundiais e da Iniciativa Global de Erradicação da Pólio diminuíram a quantidade de casos de pólio de cerca de 350 mil por ano para apenas alguns até agora, em 2017. Mas, para chegarmos à erradicação, devemos chegar ao número zero de casos e permanecer nesse número. Para isso, precisamos da ajuda de todos.

Em 24 de outubro, celebraremos o Dia Mundial de Combate à Pólio, um dia para comemorar até onde chegamos e uma oportunidade para todos nós de aumentar a visibilidade e arrecadar fundos para concluir o trabalho de erradicação. Solicito a todos os Rotary Clubs que participem de alguma forma das atividades desse dia e incentivo que acessem o site  para ter mais ideias e registrar seu evento. Quer você organize um leilão silencioso, uma exibição em realidade virtual, uma caminhada de arrecadação de fundos ou um Dia do Dedinho Roxo, seu clube realmente pode fazer a diferença.

Neste ano, o evento do Dia Mundial de Combate à Pólio ocorrerá na sede da Fundação Bill e Melinda Gates em Seattle, EUA. Você pode assistir a transmissão ao vivo pelo site  a partir das 14h30, horário do Pacífico. Como muitos de vocês sabem, o Rotary se comprometeu a arrecadar US$50 milhões por ano durante os próximos três anos, quantia que será equiparada na proporção de 2:1 pela Fundação Gates, efetivamente triplicando o valor de todo o dinheiro que o Rotary arrecadar nesse dia em especial e ao longo do ano. Vamos todos fazer a diferença nesse dia e ajudar a Eliminar a Pólio Agora!


SETEMBRO/2017

Uma das melhores partes das convenções do Rotary é a exuberante diversidade de pessoas. Esteja você em um workshop, explorando a Casa da Amizade ou fazendo um lanche, você encontrará pessoas de todas as partes do mundo e ouvirá vários idiomas. As convenções são divertidas e ilustram uma parte importante do Rotary: o fato de sermos tão diferentes uns dos outros e ainda assim nos sentirmos tão à vontade quando estamos juntos.

Este espírito comunitário, que é inerente ao Rotary, também define Toronto, nossa cidade anfitriã para a Convenção Internacional do Rotary de 2018. Toronto é uma das minhas cidades prediletas. É um lugar onde metade da população de 2,8 milhões vem de outro país, onde mais de 140 idiomas são falados e onde ninguém parece estar tão atarefado a ponto de deixar de ser atencioso. Toronto, além de limpa, segura e acolhedora, é uma cidade bonita localizada às margens do Lago Ontário, com excelentes restaurantes, museus de diversos tipos e bairros interessantes.

A Convenção de 2018 já promete ser uma das melhores. A Comissão da Convenção e a Comissão da Organização Anfitriã vêm trabalhando com afinco para que tenhamos palestrantes inspiradores, excelente entretenimento, workshops interessantes e uma ampla variedade de atividades ao redor da cidade. Haverá algo para todos um em Toronto. Juliet e eu pretendemos trazer nossas famílias para se divertirem na Convenção e incentivamos vocês a fazerem o mesmo. Se planejarem com antecedência, vocês economizarão ainda mais: o prazo final para aproveitar as inscrições com desconto (há também um desconto adicional para inscrições feitas on-line) é 15 de dezembro.

Por mais que Toronto tenha a oferecer, o verdadeiro atrativo é obviamente a Convenção em si. O evento anual nos possibilita revitalizar nossa energia, aprender o que o resto do mundo rotário está fazendo e buscar inspiração para o ano seguinte. Aprenda mais em  e busque Inspiração em Cada Esquina na Convenção do Rotary de 2018 em Toronto.


AGOSTO/2017

Quando alguém pergunta o que o Rotary é, o que vocês respondem? Acho que todos nós já passamos por uma situação em que tivemos que responder a esta pergunta aparentemente simples e acabamos não sabendo o que dizer. Até mesmos os rotarianos mais eloquentes consideram um desafio definir a essência da organização em apenas algumas sentenças.

Como organização, o Rotary sempre teve dificuldades de expressar o âmbito do seu trabalho, não apenas sobre o que fazemos, mas como fazemos, e o valor do que contribuímos ao mundo.

Como contador, não preciso dizer que adoro números. Eles funcionam em todos os idiomas e, no geral, comunicam informações complexas muito mais eficazmente do que palavras. Esta é a razão pela qual, neste ano rotário, peço que cada clube forneça à Sede Mundial dois números: valor do quanto doam em dinheiro e em espécie a serviços humanitários e as horas de trabalhos realizados em nome do Rotary.

Para que estes números sejam úteis, eles devem ser exatos. Isto significa que deveremos começar agora a registrar as horas e os valores gastos pelos clubes na prestação de serviços.

A maneira mais simples para os clubes fornecerem estas informações no fim do ano é adicionando-as mensalmente no Rotary Club Central – ferramenta que foi reformulada para facilitar seu uso. Se por qualquer motivo (por exemplo, acesso limitado à internet) os seus clubes não possam se conectar com o Rotary Club Central, contatem o governador de distrito e ele providenciará para que as informações sejam enviadas de outra forma.

Vale ressaltar que a meta deste esforço não é obter os números mais altos e impressionantes. Não será uma competição ou um reconhecimento e, em hipótese alguma, as informações concedidas pelos clubes individuais serão usadas publicamente. A meta é obter números precisos e confiáveis que possamos apresentar com segurança no trabalho de promoção da nossa imagem pública, nos materiais sobre desenvolvimento do quadro associativo e aos nossos parceiros – números embasados por dados específicos no âmbito do clube que respondem não apenas o que o Rotary é mas, também, o que o Rotary faz.

Acredito plenamente que com estes números estaremos melhor capacitados a demonstrar que O Rotary Faz a Diferença, o que, com o tempo, nos permitirá fazer ainda mais a diferença, para um número maior de pessoas.


JULHO/2017

Existem tantos motivos para se associar ao Rotary quanto rotarianos – talvez até mais. Mas cada um de nós permanece na organização porque algo é adicionado às nossas vidas. Juntos, estamos Fazendo a Diferença no mundo e quanto mais nos envolvermos no Rotary, maior a diferença que ele fará em nossa vida. Como rotarianos, somos desafiados a ser pessoas melhores que se dedicam a objetivos mais nobres e colocam em prática a máxima Dar de Si Antes de Pensar Em Si.

Os Rotary Clubs e rotarianos é que decidem a diferença que querem fazer por meio dos seus serviços humanitários. Como organização, somos guiados por três prioridades estabelecidas no Plano Estratégico do RI: fortalecer e apoiar os clubes, dar mais enfoque e expansão aos serviços humanitários e aumentar a projeção da imagem pública da organização.

No ano que vem, nossos clubes terão o suporte de várias ferramentas online, incluindo um novo Rotary.org, um processo mais simples para pedido de subsídio da Fundação Rotária, uma experiência aprimorada no Meu Rotary, e um novo Rotary Club Central. Ao tentarmos fortalecer nossos clubes, temos dois desafios específicos referentes ao quadro associativo: gênero e faixa etária dos associados. Para manter clubes fortes, precisamos de um quadro associativo que reflita as comunidades que servimos e que continue desenvolvendo líderes bem informados nas gerações por vir.

Há muitos anos que a sustentabilidade tem sido o fundamento para nossos serviços humanitários. Serviço sustentável significa que nosso trabalho continua tendo um impacto positivo muito tempo depois de encerrado o envolvimento direto do Rotary. Não abrimos poços e vamos embora; nós nos certificamos de que as comunidades possam manter e reparar estes poços. Se construímos uma clínica, nós garantimos que a clínica consiga continuar em funcionamento sem suporte contínuo. E não estamos trabalhando apenas para conter a pólio, mais sim eliminá-la para sempre.

A erradicação da pólio é o maior serviço sustentável. Trata-se de um investimento que renderá um benefício permanente e em escala global. Esta é, e deve continuar sendo, nossa principal prioridade até terminarmos o trabalho.

Jamais poderemos saber o número de pessoas cujas vidas foram transformadas por meio do Rotary durante estes últimos 112 anos. A tocha que Paul Harris acendeu foi passada de geração em geração e hoje está em nossas mãos. Vamos manter sua chama acessa para mostrar ao mundo que O Rotary Faz a Diferença.